Conheça a Lika (minha cachorrinha)

Por - fevereiro 23, 2016




Um vídeo todo especial sobre a minha cachorrinha (que não é tão inha assim) Lika! É tipo um vlog canino! haha Se gostarem me avisem pois tenho certeza que ela adorará aparecer mais vezes por aqui! Pra assistir é só dar  play:


A Lika foi um presente do meu pai. Na verdade foi um pouco mais complexo que isso. Há 4 anos quando fui ao dentista meu pai ficou me esperando no carro. Segundo ele, um menininho se aproximou e disse que sua cadela havia dado cria de vários filhotes (não sei quantos) só que eles não tinham condições de cuidar de todos e estavam doando. Meu pai totalmente sem presunção foi ver e voltou com uma bolinha dourada de uns 30 centímetros. Quando cheguei no carro meu pai disse: - tenho uma surpresa aqui atrás - eu estava morrendo de medo porque meu pai é meio doido, mas quando ele abriu a porta eu vi uma cachorrinha magrinha toda encolhidinha no canto do assoalho do carro. Me apaixonei por ela mas não tinha noção do quando ela mudaria a minha vida.

Quando eu tinha uns 12 anos eu queria muito ter um cachorro e meu pai (eu disse que ele era doido) ajeitou tudo pra eu ter um canil! Eu tive 6 cachorros ao mesmo tempo. Eram tantos que eu nem sabia mais que nome escolher pra eles. Como eu era pequena, e todos eles eram filhotes, foi óbvio que o resultado foi catastrófico! Eles eram uma peste e eu não conseguia adestrá-los. Depois de uns três anos acabei doando todos. Fiquei muito triste, foi muito difícil vê-los indo embora, um a um. Mas essa história toda foi pra dizer que eu não tinha uma boa lembrança em cuidar de cães.

O menininho que nos deu a Lika disse que ela tinha nascido em abril e portanto tinha 4 meses. Ela era muito pequenininha e dormia quase o tempo todo e, assim como qualquer filhote, ela era uma fofa e tudo que ela fazia era bonitinho. Mas quanto mais ela mais crescia mais ela aprontava, aí eu já estava pensando que eu não servia pra isso e teria que encontrar outro lar pra Lika. Mas como todos os cães (e até nós, humanos), depois de passar da "adolescência" tudo fica mais calmo. Quando ela estava com um ano e meio pude notar a total transformação. Ela já era uma adulta. Eu não tinha mais que me preocupar caso as meias caíssem do varal, se o jornal ficasse voando no quintal ou esquecer um par de tênis no chão. Ela já havia aprendido que não era pra mexer, sabia que o banheiro era onde o jornal estivesse estendido, que aquele tapete era a sua caminha, sabia sentar, deitar, fingir de morta levando um "tiro", dar patinha, "tocar" um hi five, e sabia esperar pra comer até que eu dissesse: "pode pegar!".

Hoje vejo que eu consigo entendê-la e por isso tudo é mais fácil do que na época do canil. Percebo que ela me ensina. Que todas as vezes que eu erro ela demonstra o meu erro, eu só preciso enxergar. Hoje ela é da família, é minha melhor amiga. Ela nunca fica brava ou triste comigo mesmo quando eu faço besteira, quando brigo com ela ou viro a cara. Ela sempre está lá me esperando como se eu fosse a pessoa mais importante do universo!

Obrigada por tudo Lika!

Veja Também

0 comentários