Quem cala NÃO consente!

Por - setembro 03, 2014

créditos
Você fala que eu errei e eu não respondo. Você faz uma pergunta e eu finjo que não ouvi. Você olha pra mim esperando uma reação minha diante da cômica situação, como quando nos entreolhávamos segurando uma gargalhada, mas finjo que não captei a situação e dou de ombros.

Talvez seja pelo fato de eu não ter o mesmo humor, de eu querer me comportar e não "pagar mico" ou talvez eu esteja em uma constante crise de tpm, mas devido aos últimos acontecimentos me sinto inclinada a não acreditar no que você diz. E a cada palavra que sai da sua boca eu lembro de tudo o que passou e digo a mim mesma que não vou acreditar em nada, não vou crer nas suas falsas promessas, no seu sorriso de que tudo está bem e que tudo ficará bem, aconteça o que acontecer. Você pode não perceber, ou não quer perceber, mas eu mudei, cresci, amadureci e mesmo que seja pouco, o baque me ajudou a enxergar o que eu só via mas não compreendia.

Então desculpe se pareço de mal humor, se não sou mais a mesma, se não presto atenção no que você diz, e me desculpe por não falar isso pra você, mas uma das coisas que aprendi é que muitas vezes o melhor é guardar pra você, mesmo que doa. Apesar de tudo eu ainda te respeito, te quero bem e te amo. É por isso que não digo, seria egoísmo da minha parte dividir esse sofrimento. Não quero te magoar, nem cogitar te perder. Essa fase já vai passar e assim que as ondas fortes e os tsunamis que estão tentando entrar em nossas vidas acalmar, te prometo que vamos voltar a gargalhar como antes!

Veja Também

0 comentários